Plantio de mudas nativas, entrega de mini trator, distribuição de materiais escolares e implantação de uma fossa séptica biodigestora. Essas foram algumas das ações realizadas, nesta segunda-feira (01), durante a abertura da 4ª Expedição Científica do Baixo São Francisco, que aconteceu no município de Piranhas.

“Hoje Piranhas se torna o ponto de partida da ciência alagoana. Serão 10 dias de muito trabalho, que envolve 66 pesquisadores. Estamos trabalhando em 35 linhas de pesquisa e convertendo as ações em políticas socias para a melhoria da qualidade ambiental do rio São Francisco, dos municípios e de toda população ribeirinha”, afirmou o coordenador da expedição e professor da Ufal, Emerson Soares.

Na programação desta segunda, também foram realizadas ações de saúde bucal e de prevenção ao Acidente Vascular Cerebral (AVC), distribuição de kits de proteção para pescadores, peixamento de 30 mil alevinos e doação de equipamentos como projetor multimídia (datashow), notebook e caixa de som para escolas da rede municipal.

A Prefeitura em parceria com a Ufal também promoveu cirurgias para remoção de tumores cancerígenos de pele, na Unidade Básica de Saúde do Distrito Piau. Os procedimentos foram realizados pelo professor da Ufal e cirurgião plástico, Fernando Gomes.

A expedição, promovida pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), vai durar 10 dias e conta com a participação de 66 pesquisadores, distribuídos em dois barcos laboratórios, cinco lanchas e um catamarã de apoio.

O trajeto da expedição inclui os municípios de Pão de Açúcar, Traipu, São Brás, Igreja Nova, Penedo, Piaçabuçu, Propriá (SE) e Brejo Grande (SE), todos alvos de pesquisa e de intervenções junto às comunidades ribeirinhas.

  Prefeitura encerra ações de abertura da 4ª Expedição Científica do Baixo São Francisco